.posts recentes

. Navegue no site oficial d...

. O meu ecoponto

. Red List - Espécies Ameaç...

. Quercus defende reutiliza...

. Centrais de dessalinizaçã...

. Relatório Anual do Sector...

. Um ano depois...

. Principais dados estatíst...

. Eco-eficiência

. Aventuras no Planeta das ...

.arquivos

. Agosto 2006

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

Terça-feira, 30 de Agosto de 2005
Elucidário sobre a AdP e o Ambiente
Nesta páguina, encontra um conjunto de termos relacionados com a actividade da empresa Águas de Portugal (AdP) e o Ambiente. [ver página]
publicado por nelsonfq às 14:15
link do post | comentar | favorito
|
Breve História do Lixo

O lixo é um dos grandes problemas dos nossos dias. A Era Pós-Industrial caracteriza-se por uma maior qualidade de vida e conforto, mas o crescimento económico e os galopantes índices de consumo fizeram com que também passássemos a produzir cada vez maiores quantidades de resíduos. A eficaz gestão dos resíduos é fundamental para a garantia da qualidade de vida das pessoas e para a preservação do ambiente.


Clique abaixo para saber mais sobre a problemática do lixo através dos tempos.



In http://www.adp.pt

publicado por nelsonfq às 14:05
link do post | comentar | favorito
|
Breve História da Água

A água ocupa três quartas partes da superfície da Terra. No entanto, apenas 3% correspondem a água doce, que está repartida entre os gelos que cobrem as regiões polares e nas profundezas dos solos. As águas superficiais, que estão disponíveis para a utilização do Homem, representam apenas 1%. A importância deste recurso estratégico do Planeta Terra é visível ao longo da História.


Clique abaixo para saber mais sobre a água através dos tempos



In http://www.adp.pt

publicado por nelsonfq às 14:02
link do post | comentar | favorito
|
Água. Usando bem, mais gente tem.

SecaPegada1.jpg

   


In Águas de Portugal > http://www.adp.pt

publicado por nelsonfq às 13:32
link do post | comentar | favorito
|
Ciclo do Lixo
> Ver http://www.adp.pt/frontend/portugues/section.asp?ids=1&ida=14
publicado por nelsonfq às 13:22
link do post | comentar | favorito
|
Ciclo Urbano da Água
> Ver http://www.adp.pt/frontend/portugues/section.asp?ids=1&ida=13
publicado por nelsonfq às 13:20
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 29 de Agosto de 2005
Painéis solares fotovoltaicos e térmicos

A energia solar pode ser classificada em duas categorias: energia térmica e energia luminosa.


A energia luminosa pode ser convertida em energia eléctrica em painéis fotovoltaicos, que são constituídos por semicondutores. Estes painéis conseguem converter apenas 15% da energia luminosa recebida.


A energia térmica pode ser utilizada para aquecer água em painéis térmicos. Estes painéis são mais eficientes, e mais baratos, que os painéis fotovoltaicos, já que conseguem converter entre 60% a 75% da energia luminosa recebida.

publicado por nelsonfq às 09:58
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Agosto de 2005
Desperdício de 40% da água captada custa 730 milhões de euros

Mais de 40% da água captada em Portugal é desperdiçada. Perde-se nas torneiras que jorram enquanto lavamos os dentes, nos autoclismos e na rede de distribuição que está velha e desadequada. Os níveis de perda de água nalguns sistemas chegam a atingir os 50%.


As perdas nos processos de captação, transporte, tratamento e distribuição rondam os 15%. Ou seja, desde que é captada nos recursos subterrâneos (aquíferos) ou superficiais (rios, lagos), até chegar a casa do consumidor, 15% ficam pelo caminho, devido às envelhecidas redes de distribuição Os restantes 25% são desperdiçados na fase de consumo, em casa do cidadão, na agricultura, na indústria e noutros sectores.


Esta ineficiência custa, em média, ao Estado 730 milhões de euros por ano, o correspondente a 0,64% do produto interno bruto.


Para muitos portugueses, a água já é um recurso escasso cujo consumo, especialmente em períodos de seca, obriga a restrições drásticas, pois o nível de alguns reservatórios superficiais e subterrâneos tornam-se diminutos. O cenário mundial não é mais animador e mostra que 70% do planeta não tem acesso a água potável.


 


In Diário de Notícias, 05-06-2005

publicado por nelsonfq às 13:33
link do post | comentar | favorito
|
Água mais cara nos próximos cinco anos

A Assembleia da República inicia hoje a discussão da Lei da Água, que transpõe para o Direito português uma directiva europeia, que já deveria ter sido transcrita em 2003. Mas só daqui a dez anos é que a legislação adquire plena eficácia, pois está marcado para 2015 o prazo para que sejam atingidos os objectivos de bom estado e de bom potencial das massas de água. Pelo caminho, a proposta de lei, simbolicamente aprovada em Conselho de Ministros extraordinário no Dia Mundial do Ambiente, determina outras metas e aplicará, ao longo dos próximos cinco anos, a política de preços que há-de levar os portugueses a pagar mais pela água que consomem ajudando a pagar os custos com a sua captação, tratamento e distribuição, mas também a despoluir os rios, lagos, estuários e zonas costeiras.


 


De acordo com a proposta de lei, a política de preços deverá basear-se "na análise económica que tenha em conta os princípios do poluidor-pagador e do utilizador-pagador e atenda às consequências sociais, económicas e ambientais". Como impõe a Directiva 2000/60/CE, trata-se de interligar os custos decorrentes das actividades susceptíveis de causar impacte negativo no estado de qualidade e de quantidade e de recuperar investimentos, bem como de implementar políticas de preços que incentivem a utilização eficiente da água. Serão introduzidas progressivamente taxas de utilização, quer quanto à captação de água quer quanto à rejeição de águas residuais, a pagar ao Estado.



In Jornal de Notícias, 01-07-2005

publicado por nelsonfq às 13:15
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Seca 2005

> A Resolução do Conselhos de Ministros n.º 83/2005, de 31 de Março, criou a Comissão para a Seca 2005, que está encarregada de acompanhar de forma permanente a evolução da situação de seca, de preparar e propor medidas de emergência a adoptar e de elaborar quinzenalmente um relatório de acompanhamento da seca. [ver Resolução] [consultar relatórios]


> A Comissão para a Seca 2005 é constituída por vários organismos, entre os quais o IRAR (Instituto Regulador de Águas e Resíduos).


> O IRAR, enquanto autoridade competente para a qualidade da água para consumo humano desde Dezembro de 2003, tendo em conta as condições meteorológicas anormais verificadas nos últimos meses, tem vindo a acompanhar atentamente a situação em todo o País. Nesse âmbito, procedeu ao levantamento das disponibilidades da água para consumo humano junto de todas as entidades gestoras dos sistemas de distribuição de água no Continente, de forma a avaliar os efeitos previsíveis no abastecimento público de água e nomeadamente na qualidade da água. [ver mais]


> Consulte diversas medidas destinadas a um uso mais eficiente da água, recomendadas quer às entidades gestoras, quer aos consumidores de água. [consultar]

publicado por nelsonfq às 13:03
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds