.posts recentes

. Navegue no site oficial d...

. O meu ecoponto

. Red List - Espécies Ameaç...

. Quercus defende reutiliza...

. Centrais de dessalinizaçã...

. Relatório Anual do Sector...

. Um ano depois...

. Principais dados estatíst...

. Eco-eficiência

. Aventuras no Planeta das ...

.arquivos

. Agosto 2006

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

Sábado, 31 de Dezembro de 2005
Dados do Ambiente de 2004 Divulgados

O Instituto Nacional de Estatística divulgou os resultados das “Estatísticas do Ambiente – 2004”. Os dados mostram um aumento significativo no investimento em tecnologias menos poluentes.


A publicação do Instituto Nacional de Estatística denominada “Estatísticas do Ambiente – 2004” já foi divulgada e mostra importantes evoluções ao nível do investimento realizado no sentido de promover melhorias no ambiente.


 


O investimento das indústrias portuguesas em tecnologias menos poluentes aumentou cerca de 35% relativamente ao ano anterior. Esta evolução deve-se sobretudo aos investimentos realizados nas “Indústrias de pasta, de papel e de cartão”, nas “Indústrias petrolíferas” e nas “Indústrias de minerais não metálicos”. Verifica-se que cerca de 64% deste investimento foi realizado no domínio da “Qualidade do ar e clima”.


 


Ao nível da Administração Pública verifica-se que a maior percentagem do investimento recaiu sobre a “Gestão de resíduos”. As administrações locais afectaram dois terços da sua despesa ao domínio do ambiente.


 


Este estudo revela ainda um aumento do consumo de água entre 2002 e 2004, sobretudo nas Regiões Autónomas e no Algarve. Destaque também para o facto do tratamento das águas residuais geridas pelos sistemas públicos municipais ter registado melhorias. Também aumentou a recolha selectiva de resíduos sólidos urbanos em 2004.


 


A publicação reúne a informação estatística relevante sobre o ambiente em 2004 e pode ser consultada no sítio da Internet do INE.


Fonte: Portal do Cidadão
publicado por nelsonfq às 20:29
link do post | comentar | favorito
Domingo, 25 de Dezembro de 2005
Esterilização de produtos com radiações gama

A CHIP. S.A é um Centro de Higienização de Produtos que se dedica ao tratamento de materiais através de Radiações Gama. A empresa está instalada na Unidade Tecnológica de Radioesterilização do Instituto Tecnológico Nuclear onde se dedica à  esterilização e descontaminação de vários produtos, tais como as rolhas de cortiça.

A indústria corticeira ocupa um lugar de destaque na economia nacional.
Um dos problemas do sector é a existência de microorganismos na cortiça, que podem ser responsáveis pelo conhecido “gosto a rolha”, detectado em muitas garrafas de vinho. Este gosto característico tem implicações negativas na qualidade do produto uma vez que a longo prazo acaba por alterar o sabor do vinho.
Hoje em dia, existem tecnologias que ajudam a eliminar este “gosto” que mais não é  do que um composto molecular denominado por TCA, ou seja, Tricloroanisole.


Em parceria com o INETI, Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, a CHIP S.A. desenvolveu um processo de eliminação ou redução de TCA em rolhas de cortiça. Esta tecnologia é baseada em radiações gama e não constitui qualquer problema quer para a saúde pública, quer para a qualidade do produto. A irradiação é realizada em embalagens fechadas, após o processo de fabrico das rolhas estar concluído. Antes de entrarem na câmara de irradiação, as rolhas são embaladas num saco de plástico composto por cinco camadas de materiais diferentes, com o objectivo de garantir o vácuo por um período de dois anos.

A irradiação através de raios gama desenvolve-se numa câmara de betão com 1,80 metros de espessura, que funciona como um escudo biológico, onde estão aplicadas todas as medidas de segurança. O isótopo de Cobalto 60 é a fonte de energia usada nas unidades fabris que utilizam a radiação gama.  A energia gerada pelos protões durante a irradiação, é transferida para os electrões do material a tratar;  são ondas electromagnéticas que vão provocar a quebra das cadeias de ADN e impedir a sua multiplicação, originando assim a esterilização. A principal interacção da radiação na matéria, tem dois efeitos: os efeitos primários e secundários. Os efeitos primários são a quebra das cadeias de ADN dos microrganismos. Os secundários são a cisão de moléculas de água (radiólise), uma consequência dos efeitos primários. Ao se quebrar o ADN dos microrganismos, eles são destruídos e o produto fica esterilizado.


A dose de radiação a aplicar e o tempo de exposição variam de produto para produto. A absorção é determinada pela densidade do produto, o tamanho da embalagem, o tempo de exposição e a própria geometria da unidade fabril.
O processo de medição é regular e é verificado através de dosímetros que permitem fazer a leitura da irradiação que o produto absorveu. A verificação da dosagem é feita mediante o grau de escurecimento ou o aumento da própria densidade óptica. Isto é importante para não se aplicar uma dose alta que degrade o produto.


A descontaminação e esterilização através de radiações gama já é aplicada há vários anos na indústria farmacêutica, em produtos de cosmética e também no restauro de obras de arte. No entanto, no que diz respeito aos produtos agro-alimentares,  na União Europeia, neste momento, só é permitido irradiar ervas aromáticas e especiarias. 


A vantagem da irradiação através de raios gama reside no elevado poder de penetração, que permite a descontaminação ou esterilização em embalagens fechadas. A energia que é utilizada não é suficiente para provocar a radioactividade, nem alterar a qualidade ou estrutura do produto que é irradiado.

publicado por nelsonfq às 00:49
link do post | comentar | favorito
Sábado, 24 de Dezembro de 2005
Kidwizard

Welcome!  Kid Wizard is a fun, educational place where kids ages six to twelve can play games, solve mysteries, create slimy potions, and find out that magic does exist.


 

publicado por nelsonfq às 23:32
link do post | comentar | favorito
Mutação

ADN.jpg


Em biologia molecular, importa considerar dois tipos: as mutações genéticas e as mutações cromossómicas.


A mutação genética corresponde a uma alteração da mensagem genética escrita no alfabeto dos nucleótidos de um gene provocada por erro durante a replicação do ADN, o qual constitui o material hereditário de todos os organismos vivos. Pode ser considerado um processo evolutivo de adaptação, embora só algumas mutações melhoram a capacidade do organismo, e são favorecidas pela selecção natural.


A prevalência de ocorrer mutação durante a replicação do ADN aumenta com a exposição a determinadas substâncias químicas ou à radiação.


As mutações comuns incluem a omissão ou a inserção de um nucleótido e denominam-se por mutações pontuais.


Nem todas as mutações afectam o organismo porque existe alguma redundância na informação genética. Se a mutação ocorrer numa sequência do ADN que não é lida pelo ARN mensageiro e como tal não é traduzida, a proteína resultante não irá apresentar qualquer defeito no seu funcionamento. Este tipo de mutação é chamada de mutação neutral, importante nos estudos do relógio molecular porque estas mutações têm tendência a acumular-se à medida que o tempo passa. Outras mutações até podem afectar os genes que controlam a produção de proteínas ou as partes funcionais destas, sendo quase sempre responsáveis pelo um funcionamento ou destruição da proteína a que dá origem.


As mutações cromossómicas afectam a estrutura ou o conjunto numérico de cromossomas. As primeiras incluem a remoção ou delecção de um segmento de ADN, translocação de um segmento de ADN para outra posição ou para outro cromossoma, ou a sua inversão na cadeia do ADN.


O sindroma de Down - ou trissomia 21 - é exemplo de uma mutação numérica, ou seja, as células destes indivíduos contêm 3 cromossomas 21 em vez dos dois habituais.


In http://www.universal.pt 

publicado por nelsonfq às 12:04
link do post | comentar | favorito
Gravidade
Força de atracção mútua que surge entre dois corpos em virtude das suas massas. Na Terra, a gravidade é a força de atracção entre qualquer objecto no campo gravitacional terrestre e a própria Terra. É encarada como uma das quatro forças fundamentais da natureza, sendo as outras três a força electromagnética, a força nuclear forte e a força nuclear fraca. A força gravitacional é a mais fraca de todas as quatro forças, mas actua a grandes distâncias. A partícula que está postulada como a que transporta a força gravitacional é o gravitão.

Uma das primeiras experiências gravitacionais foi levada a cabo por Nevil Maskelyne, em 1774, e envolvia a medida da atracção do Monte Schiehallion (Escócia) sobre um peso de chumbo.


Uma experiência para determinar a força de atracção entre duas massas artificiais foi planeada, em primeiro lugar, em meados do século XVIII, pelo Reverendo J. Mitchell, que não viveu o suficiente para trabalhar com o aparelho que tinha concebido e completado. Depois da morte de Mitchell, o aparelho chegou às mãos de Henry Cavendish, que o reconstruiu em grande parte, mantendo, no entanto, o plano original de Mitchell. As massas a atrair consistiam em duas bolas pequenas ligadas por uma vareta rígida de madeira, suspensa pelo seu ponto médio por um fio longo e fino. Toda esta parte do aparelho estava contida numa caixa, cuidadosamente folheada com estanho para assegurar, tanto quanto possível, uma temperatura uniforme no seu interior. Uma distribuição irregular da temperatura teria resultado em correntes de convecção do ar que provocariam um sério efeito perturbador no sistema suspenso. Na vareta estava preso um pequeno espelho com a sua superfície na vertical. Na caixa, uma pequena janela envidraçada permitia que qualquer movimento do espelho fosse observado pelos consequentes desvios dos raios de luz nele reflectidos. As massas em atracção consistiam em duas esferas de chumbo, maciças e exactamente idênticas. Utilizando este aparelho, Cavendish, em 1797, obteve para a constante gravitacional G o valor 6,6 × 10-11 N m2kg-2. O aparelho foi aperfeiçoado por Charles Vernon Boys que obteve um valor mais preciso: 6,6576 × 10-11 N m2kg-2. Em geral, o valor utilizado actualmente é 6,6720 × 10-11 N m2kg-2.


De acordo com a lei da gravitação de Newton, todos os objectos na Terra caem com a mesma aceleração, independentemente da sua massa. Para um objecto de massa m1 a uma distância r do centro da Terra (massa m2), a força de atracção gravitacional F é igual a Gm1m2r2, em que G é a constante gravitacional. No entanto, de acordo com a segunda lei de Newton do movimento, F também é igual a m1g, em que g é a aceleração devida à gravidade; assim: g = Gm2r2 e é independente da massa do objecto; à superfície terrestre é igual a 9,806 metros por segundo quadrado.


A teoria da relatividade geral de Einstein trata a gravitação não como uma força mas como uma curvatura do espaço-tempo que rodeia um corpo. A relatividade prevê o desvio da luz e o deslocamento para o vermelho da luz num campo gravitacional; ambos os fenómenos têm sido observados. Uma outra previsão da relatividade são as ondas gravitacionais, que deveriam ser produzidas quando corpos maciços são violentamente perturbados. Estas ondas são tão fracas que ainda não foram detectadas com certeza suficiente, apesar de as observações de um pulsar (que emite energia a intervalos regulares), em órbita em torno de outra estrela, tenham demonstrado que as estrelas, através do movimento em espiral, em conjunto e dentro do ritmo esperado, perdem energia sob a forma de ondas gravitacionais.


In http://www.universal.pt

publicado por nelsonfq às 12:00
link do post | comentar | favorito
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds