.posts recentes

. Navegue no site oficial d...

. O meu ecoponto

. Red List - Espécies Ameaç...

. Quercus defende reutiliza...

. Centrais de dessalinizaçã...

. Relatório Anual do Sector...

. Um ano depois...

. Principais dados estatíst...

. Eco-eficiência

. Aventuras no Planeta das ...

.arquivos

. Agosto 2006

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

Domingo, 25 de Dezembro de 2005
Esterilização de produtos com radiações gama

A CHIP. S.A é um Centro de Higienização de Produtos que se dedica ao tratamento de materiais através de Radiações Gama. A empresa está instalada na Unidade Tecnológica de Radioesterilização do Instituto Tecnológico Nuclear onde se dedica à  esterilização e descontaminação de vários produtos, tais como as rolhas de cortiça.

A indústria corticeira ocupa um lugar de destaque na economia nacional.
Um dos problemas do sector é a existência de microorganismos na cortiça, que podem ser responsáveis pelo conhecido “gosto a rolha”, detectado em muitas garrafas de vinho. Este gosto característico tem implicações negativas na qualidade do produto uma vez que a longo prazo acaba por alterar o sabor do vinho.
Hoje em dia, existem tecnologias que ajudam a eliminar este “gosto” que mais não é  do que um composto molecular denominado por TCA, ou seja, Tricloroanisole.


Em parceria com o INETI, Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, a CHIP S.A. desenvolveu um processo de eliminação ou redução de TCA em rolhas de cortiça. Esta tecnologia é baseada em radiações gama e não constitui qualquer problema quer para a saúde pública, quer para a qualidade do produto. A irradiação é realizada em embalagens fechadas, após o processo de fabrico das rolhas estar concluído. Antes de entrarem na câmara de irradiação, as rolhas são embaladas num saco de plástico composto por cinco camadas de materiais diferentes, com o objectivo de garantir o vácuo por um período de dois anos.

A irradiação através de raios gama desenvolve-se numa câmara de betão com 1,80 metros de espessura, que funciona como um escudo biológico, onde estão aplicadas todas as medidas de segurança. O isótopo de Cobalto 60 é a fonte de energia usada nas unidades fabris que utilizam a radiação gama.  A energia gerada pelos protões durante a irradiação, é transferida para os electrões do material a tratar;  são ondas electromagnéticas que vão provocar a quebra das cadeias de ADN e impedir a sua multiplicação, originando assim a esterilização. A principal interacção da radiação na matéria, tem dois efeitos: os efeitos primários e secundários. Os efeitos primários são a quebra das cadeias de ADN dos microrganismos. Os secundários são a cisão de moléculas de água (radiólise), uma consequência dos efeitos primários. Ao se quebrar o ADN dos microrganismos, eles são destruídos e o produto fica esterilizado.


A dose de radiação a aplicar e o tempo de exposição variam de produto para produto. A absorção é determinada pela densidade do produto, o tamanho da embalagem, o tempo de exposição e a própria geometria da unidade fabril.
O processo de medição é regular e é verificado através de dosímetros que permitem fazer a leitura da irradiação que o produto absorveu. A verificação da dosagem é feita mediante o grau de escurecimento ou o aumento da própria densidade óptica. Isto é importante para não se aplicar uma dose alta que degrade o produto.


A descontaminação e esterilização através de radiações gama já é aplicada há vários anos na indústria farmacêutica, em produtos de cosmética e também no restauro de obras de arte. No entanto, no que diz respeito aos produtos agro-alimentares,  na União Europeia, neste momento, só é permitido irradiar ervas aromáticas e especiarias. 


A vantagem da irradiação através de raios gama reside no elevado poder de penetração, que permite a descontaminação ou esterilização em embalagens fechadas. A energia que é utilizada não é suficiente para provocar a radioactividade, nem alterar a qualidade ou estrutura do produto que é irradiado.

publicado por nelsonfq às 00:49
link do post | comentar | favorito
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds